Sem-vergonhice ou sabedoria?

BlogdoJua 02-04-2007

Em sua vitoriosa campanha eleitoral para o governo dos Estados Unidos, Abraão Lincoln enfrentou um dos seus mais acérrimos inimigos de nome Stanton que odiava Lincoln. Todas as suas energias eram empregadas para o diminuir e usava expressões ofensivas procurando embaraçá-lo e subjugá-lo com as mais azedas injúrias. As diatribes não foram capazes de derrotá-lo e foi eleito presidente.

Na formação de seu gabinete, para o cargo mais importante, o da Guerra, foi buscar justamente seu algoz: Stanton. A gritaria foi geral. Lincoln ponderou que, acima de tudo, estava o interesse da Nação.

Resultado de imagem para Roberto Mangabeira Unger lula

Quando de seu assassinato, grandes elogios foram prestados, nenhum com mais fervor, veemência e reverência que o de Stanton, que a ele se referiu como um dos maiores homens de todos os tempos, e que “agora pertence à História”. Foi, sem dúvida, um ato de sabedoria e esperteza de Lincoln. Alem de granjear um profissional competente, destruiu um ferrenho inimigo de seu governo.

Agora, no Brasil, Lula acaba de fazer ministro, de alguma das 36 Pastas, um de seus mais ferrenhos críticos, professor Roberto Mangabeira Unger. Ungido ministro, cessam as implacáveis críticas que até recentemente o professor dirigia ao seu, agora, mestre. Ficaremos com a dúvida. Se tudo foi um jogo de interesse, se foi um ato de sabedoria ou apenas mais ação de nossa incorrigível sem-vergonhice crônica. De toda maneira, embora Lula deteste os livros, em seu Governo alguém preza a sabedoria.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s